Mamííí

É assim que meu filho de 15 meses começou a me chamar desde ontem. Achei tão lindo!

Fico olhando ele dormindo do meu lado, pensando e sentindo tudo o que a maternidade pode proporcionar.

Fico encantada com o DOM da vida. “Putz, fui eu quem gerou esse lindo ser!” Isso é simplesmente demais!

O amor  que passei a sentir só quem sabe é quem é MÃE. E digo com letras maiúsculas sim, pois tenho visto várias mães que não honram esse lindo nome que receberam. Esse amor me consome, transborda, sai das entranhas… É um sentimento que me aproxima de Deus!

Passei a conviver de perto com o medo da perda, com intensa preocupação, com falta aguda de descanso… Mas tudo vale a pena quando ele me olha, me dá um beijo, um abraço (ô,ô,ô) e me chama de mamãe! Só tenho a agradecer a Deus por me escolher pra criar um ser tão iluminado e deixá-lo prontinho pra encarar o mundo. Abraço essa responsabilidade com toda a força!

Se eu não fosse mãe, seria metade de mim.

Ah, e num post tão profundo sobre maternidade, não poderia deixar de falar da minha mãe, Joilza. Só depois do meu filho é que eu vi o quanto ela é TUDO! Essencial, amiga, meu porto seguro… Amo com minha alma!

Anúncios

Olhar ainda mais inquieto

oito meses de gestação

Hoje retomo as atividades do blog!

Quanto tempo! Sei porque sumi daqui. Mas não concordo com minha próprias justificativas pra parar de escrever, então esqueço.

Meu olhar está mais inquieto porque me tornei mãe! E uma mãe 24hs. Mesmo com 13 meses ainda não consegui encarar o mercado de trabalho nem mesmo desmamá-lo…

Hoje sou completa. Enzo me tornou completa!

Ser mãe é TUDO!