Reflexão incomodada

Ovelhas de Israel

Olha, eu tenho muita coisa a ser dita. Mas não tenho nada para falar se você não consegue entender ao menos uma coisa: que nós somos seres espirituais vivendo uma experiência física com o objetivo de evoluir, de nos tornarmos perfeitos.

Se você não entende isso pode parar por aqui. Vai navegar no You Tube, vai ver TV, vai dar um passeio. Só não continua lendo… E saiba que tem uma trilha enorme para ser percorrida antes de começar a entender só esse primeiro ponto acima. Mas é preciso querer entender isso. Good luck or What a shame!

Bem, aos que tem alguma familiaridade com a sentença feita no primeiro parágrafo, eu quero fazer um desabafo. É muito difícil estar no mundo sem ser do mundo, como disse o grande Paulo de Tarso. O processo da reforma íntima é doloroso, demorado, é uma verdadeira lapidação.

Tenho visto e ouvido pessoas alheias a isso tudo. Vivendo de desfrutar os prazeres momentâneos sem nenhuma preocupação com o futuro. São jovens sem compromissos e responsabilidades, são pais sem preocupação com a educação dos filhos e até inconscientes do seu papel na família, crianças sem rumo e com mais problemas que as da geração anterior, pessoas cheias de preconceito que não sabem se colocar no lugar do outro e entender ou ao menos respeitar… Tantos exemplos tristes.

Escuto se falar em meninas jogando fora sua juventude em busca do prazer e das facilidades que o dinheiro pode dar, procurando homens casados que por sua vez desonram o compromisso que têm com sua própria família. Fala-se de jovens e adultos entregues aos vícios: cigarro, drogas ilícitas, álcool. Não se divertem sem alguma dessas substâncias na corrente sanguínea. E depois que o frenesi acaba anseiam por mais. Porque o prazer da vida material é assim: precisa de mais quantidade e frequência. Sempre mais, fazendo o ser humano ser um dependente do prazer a todo custo.

Só se ouve música que fale de sexo ou violência, do mesmo jeito que só se assiste o que tem esses mesmos temas. Parece que as pessoas não querem viver em paz. Afinal, quem procura 2, 3 homens ou mulheres para se relacionar de vez, com certeza quer problema e o tal do prazer que nunca satisfaz. Quem procura viver uma viga regada a gorduras, industrializados, refrigerantes, álcool, cigarro e falta de exercício físico também não quer viver em paz, pois sabe que está destruindo mais rápido sua máquina física.

“A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.” E quando chegar a hora de colher o que plantamos na nossa vida muitos vão olhar para os céus e clamar a Deus, perguntar o que fez, o por que de tantos tormentos. Esquecendo que não existem vítimas. Somos nossos algozes.

É duro e triste viver num mundo onde poucos decidem pela reforma íntima e estão inconscientes do motivos para estarmos aqui. É visível a falta de conexão verdadeira com a espiritualidade Maior. Somos sempre taxados de diferentes, estranhos, metidos, superiores. Somos tratados com ironia, desprezo, mas muita inveja. Afinal, a vida de quem luta para evoluir espiritualmente é cheia de espinhos mas com uma paz interior de causar muita inveja. Uma fé, uma coragem inabalável!

Desde cedo precisamos aprender a conviver com um número cada vez mais reduzido de melhores amigos, vamos nos afastando, não conseguimos mais frequentar os mesmos lugares nem andar mais com as mesmas pessoas. Enxergamos e ouvimos nitidamente tudo. É tudo muito claro quando abrimos os olhos. E por isso sofremos mais que os que estão de olhos fechados, pois eles não percebem todo o mal.

Agradeço a Doutrina Espírita por esse despertar!!!! Agradeço a Jesus por esta revelação maravilhosa! E a cada dia que mudo algo para meu progresso mais vejo o quanto ainda tenho que mudar. E oro muito por todos que não enxergam nada disso. É uma pena! Mas o Cristo disse que nenhuma ovelha se perderá. E não hão de se perder mesmo!

Sobre amar e ter cumplicidade

Se você não está preparado para deixar o outro bagunçar sua vida, seus planos e seu perfeccionismo

Se você não corre atrás, não engole seu orgulho por um presente de paz e satisfação

Se você não deixa de dormir para acalmar um coração que, mesmo sem motivos para você, está sofrendo ou apenas querendo chamar sua atenção

Se você não sabe que consegue tudo o que quiser com ela valorizando-a, e isso significa escutar, respeitar, compreender, ter doçura

Se você não sabe se deve pedir ela em casamento

Se você não entende que fazer as coisas para ela não é ser um alguém mandado

Se você não consegue parar de competir, fazer guerra de braço, fazer jogo

Se você, em anos, não consegue ser quem ela precisa na sua TPM, não entende que todo o mau humor não é pessoal

Se você não procura ver ela e as atitudes dela com bons olhos

Se você não a apoia no seu crescimento profissional, achando que falar da ausência dela nesses momentos é falar do seu amor

Se você não consegue se desculpar antes de tentar provar que está certo, antes de se exaltar, antes de tentar fazer dela a vilã

Se você não se sente à vontade em correr atrás dela, em pedir para ela voltar

Se você não entende que evitando uma discussão pela manhã, se ganha uma noite de paz

Se você não lê, estuda para tentar compreender o amor de vocês, você, ela…

Se você não vê que você e ela são sua nova família agora, cúmplices, mais que sangue…alma

Se você não construiu nada com ela em todos esses anos, não idealizaram algo juntos e meteram a mão na massa

Se você não soube calar ela com um beijo

Se você não consegue ter uma conversa clara e amorosa com ela

Se você não compra as brigas dela, não a defende

Se você não deixa de pensar que pode estar sendo um bobo, um otário, por ser diferente dos seus amigos com as mulheres

Se você não a vê como mulher, amante, mãe, amiga, filha e companheira

Se você a amasse de verdade não existiria Se… Porque o amor, na prática, é doação, é se perder para se encontrar. É claro que com muitos erros, muitas tentativas para fazer dar certo, mas quais foram as suas tentativas mesmo meu chapa?

Taís Andrade

É muito bom ser eu mesma

armadura

Coberta por armaduras matei um dragão por dia.
Só eu sei como lutei pra me proteger de cada baforada quente.
Me vesti de paz e solidão.

Desagradei, icomodei, mudei…

O coração duro, quando se mostra doce, pedinte, vira DRAMA.
O olho seco quando chove, não recebe um acalento.
O vilão quando vira mocinho, se torna apático.

Não saber lidar nem com as espadas e nem com as flores é falta de capacidade de lidar com o OUTRO de um modo geral. Nada acontece por acaso. Após alguns ajustes, a armadura voltará a servir direitinho!

Feliz feriado/Muita saudade disso aqui

Gostaria de ter mais tempo para escrever, já que a vontade e a necessidade disto eu tenho de sobra… Que saudade desse blog. Saudade de falar de mim e me entender melhor a cada linha…

Hoje é feriado, dia das crianças! Enzo já passou a manhã no “shop” (shopping), tocando simulador de “pandêlo” (bateria) e já deu o seu show de choro e birra quando teve que sair!  Afff…

Meu pai quis levá-lo ao zoológico. No início ele pareceu bem animado falando dos animais e dizendo que só não queria ver o jacaré (coMedo), fazendo voz de lobo mau. No caminho, foi ver o shopping pela janela do carro e toda a programação anterior se desfez. Quelo shop, quelo shop, tocar pandêlo!!!!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA…

Depois disso tudo só me resta esperar minha mãe chegar em casa do dia das crianças dela para o meu começar! E juro pra mim mesma e pra vocês que, dessa vez, o desânimo não vai mudar minha programação!  Logo mais, estarei eu, eu mesma e a criança que há dentro de mim assistindo o filme dos espíritos. E nem venham me dizer que meu programa infantil é esquisito. Eu sempre fui uma criança um pouco estranha mesmo. rs

Que bom que já estamos no finalzinho do ano. Mês que vem tem mais feriado e no último mês tem Natal e Ano Novo. Êba!!!! Se ontem trabalhei com uma borboleta pintada na cara e com uma coroa furtada da dra princesa Juliana, no Natal serei a dra Noel… Ai, como isso tudo me diverte! E tenho sorte de me esbarrar com Gente Boa que vive esse sonho bom comigo de fazer a vida dar certo. O.B.R.I.G.A.D.O.O.O.O.O!

                                                                 

“Cores de Almodóvar, cores de Frida Kahlo, cores…”

Tem dias que a gente está preto e branco, não é? Não sei com vocês, mas comigo, as cores funcionam terapeuticamente. Tem dias que acordo azul. Sinto que preciso dessa cor e coloco roupa, sapato, unha, colar, tudo azul. E me sinto muito bem. Só que noutros dias, sei que preciso de cores, só não sei bem qual. São os dias de forte desânimo, dias difíceis! É aí que percebo que uma só cor não basta. Preciso do colorido. A cromoterapia deve me explicar e me entender… Sei bem que não é loucura. rs

Na semana passada me senti bem descolorida. Resolvi deixar um post no facebook sobre isso. E acabei ganhando um lindo presente. Isso mesmo, essa linda imagem que vcs vêem ao lado foi o meu presente. Quem sentiu o que eu estava precisando? Minha amiga Juliana Lacerda. Ela postou essa imagem e me disse que esse é um quadro pintado pela mãe dela.

Além do colorido que me preencheu, eu senti tantas outras coisas ao vê-lo. Essa trilha de flores… Esse portão aberto… Esse caminho vazio…

Alguém entrou e deixou o portão aberto para outro alguém entrar? Alguém saiu? Alguém a esperar? Só sei que esse é um lugar em que eu gostaria de estar, respirando todas essas cores! É nesse lugar que eu gostaria de receber um tão esperado abraço à beira deste portão… Depois olhar ao redor e agradecer à Deus por tamanha beleza e felicidade!

Sabe um sonho de olhos abertos? É esse!

Eu viajei nessa imagem.

Que Deus abençoe mãos como as da minha tia Carla Andrade de Lacerda, para que possam trazer para os sedentos de sensações, de sonhos, de cores, o acalento, o deslumbramento, o pedacinho do Céu.

“Livrai-nos de todo o mal, amém.”

Já tive provas da transitoriedade dessa vida.

Já vi que ninguém é de ninguém.

E do que adiantou isso pra mim? Parece que a cada dia eu ainda preciso aprender (aceitar, digerir), isso melhor…

Ao receber a notícia de um acidente, mesmo que sem vítimas fatais, meu coração sangrou. Me senti atordoada!

Parece que quanto mais a gente perde (?) alguém, menos a gente sabe perder os próximos. Essa sensação me tomou. Gelei! Orei!

Senti menos vontade de ficar só, corri pro ninho materno, senti vontade de abraçar todos que amo, Grudei no filhote!

Que medo é esse que me toma?

“Livrai-nos de todo o mal, amém.”

Minha amiga(irmã), segunda mãe(amiga), este post é dedicado a todo o amor que sinto por vcs.

“A minha vida não é novela nem BBB.”

Quando ouço essa frase popular penso no meu momento, reflito. E concordo em parte.

Minha vida tem sido uma novela sim. Mas isso não significa que deve ser acompanhada…

É inato ao ser humano a curiosidade. Mas você só vive de coisas inatas? É claro que não. Então coloquemos bom senso, equilíbrio e educação. Assim, a vida dos outros não será o alvo principal da sua curiosidade. Afinal, focar a curiosidade em assuntos verdadeiramente relevantes é que é uma atitude inteligente. Tem tanta fome, desmatamento e violência precisando da sua atenção e ação!

-“Olha, ela parece feliz! Não vejo ela chorar.” #espantoooo

-“O que ela vai fazer da vida agora?”

-“Vai morar aonde? Vai viver de que?”

-“Cadê o preto nas roupas do luto?” #inacreditável

-“Você não vai visitar o cemitério?”

-“Aquele cara já deve ser um affair?”

-“Você viu o status de relacionamento dela no orkut? No facebook? Qual é?”

-“Só vive de unha pintada. E colorida!”

Essas e outras perguntas foram ou serão ouvidas, pensadas, faladas, sentidas… a viuvez é mesmo algo tão interessante de se acompanhar? Pois é, cada um com suas preferências…

Eu sigo sentindo quem realmente se aproxima de mim com valiosas e fundamentadas preocupações e indagações (mais da primeira e menos da segunda). Confio muito na minha intuição e sensibilidade.

Às vezes, penso que gostaria de ser uma “porra loka” e mandar meus telespectadores pra PQP (né Gêu,? rs). Mas, definitivamente, não é do meu feitio. Afinal, quem está perdendo tempo, energia e saliva não sou eu.

“Uma mulher, todos os dias na hora do almoço, ao ver a roupa da vizinha estendida na corda, comentava com o marido: – que mulher preguiçosa! Isso é roupa lavada? Está toda suja!… Não tinha um só dia que a mulher não fizesse este comentário. Quando o marido não mais suportou, disse: -não é a roupa da vizinha que está suja, mulher, é que você está vendo a roupa através da sua vidraça imunda.”    Transcrito do livro Provérbios – A sabedoria do povo, da minha conterrânea Graziela Domini Peixoto.

Previous Older Entries