“Livrai-nos de todo o mal, amém.”

Já tive provas da transitoriedade dessa vida.

Já vi que ninguém é de ninguém.

E do que adiantou isso pra mim? Parece que a cada dia eu ainda preciso aprender (aceitar, digerir), isso melhor…

Ao receber a notícia de um acidente, mesmo que sem vítimas fatais, meu coração sangrou. Me senti atordoada!

Parece que quanto mais a gente perde (?) alguém, menos a gente sabe perder os próximos. Essa sensação me tomou. Gelei! Orei!

Senti menos vontade de ficar só, corri pro ninho materno, senti vontade de abraçar todos que amo, Grudei no filhote!

Que medo é esse que me toma?

“Livrai-nos de todo o mal, amém.”

Minha amiga(irmã), segunda mãe(amiga), este post é dedicado a todo o amor que sinto por vcs.

Anúncios

“A minha vida não é novela nem BBB.”

Quando ouço essa frase popular penso no meu momento, reflito. E concordo em parte.

Minha vida tem sido uma novela sim. Mas isso não significa que deve ser acompanhada…

É inato ao ser humano a curiosidade. Mas você só vive de coisas inatas? É claro que não. Então coloquemos bom senso, equilíbrio e educação. Assim, a vida dos outros não será o alvo principal da sua curiosidade. Afinal, focar a curiosidade em assuntos verdadeiramente relevantes é que é uma atitude inteligente. Tem tanta fome, desmatamento e violência precisando da sua atenção e ação!

-“Olha, ela parece feliz! Não vejo ela chorar.” #espantoooo

-“O que ela vai fazer da vida agora?”

-“Vai morar aonde? Vai viver de que?”

-“Cadê o preto nas roupas do luto?” #inacreditável

-“Você não vai visitar o cemitério?”

-“Aquele cara já deve ser um affair?”

-“Você viu o status de relacionamento dela no orkut? No facebook? Qual é?”

-“Só vive de unha pintada. E colorida!”

Essas e outras perguntas foram ou serão ouvidas, pensadas, faladas, sentidas… a viuvez é mesmo algo tão interessante de se acompanhar? Pois é, cada um com suas preferências…

Eu sigo sentindo quem realmente se aproxima de mim com valiosas e fundamentadas preocupações e indagações (mais da primeira e menos da segunda). Confio muito na minha intuição e sensibilidade.

Às vezes, penso que gostaria de ser uma “porra loka” e mandar meus telespectadores pra PQP (né Gêu,? rs). Mas, definitivamente, não é do meu feitio. Afinal, quem está perdendo tempo, energia e saliva não sou eu.

“Uma mulher, todos os dias na hora do almoço, ao ver a roupa da vizinha estendida na corda, comentava com o marido: – que mulher preguiçosa! Isso é roupa lavada? Está toda suja!… Não tinha um só dia que a mulher não fizesse este comentário. Quando o marido não mais suportou, disse: -não é a roupa da vizinha que está suja, mulher, é que você está vendo a roupa através da sua vidraça imunda.”    Transcrito do livro Provérbios – A sabedoria do povo, da minha conterrânea Graziela Domini Peixoto.

Seara Espírita Centelha de Luz

Considero o post de hoje muito especial. Não que os outros não sejam, mas esse é por um bem maior. É um post para nosso próximo. Isso mesmo, pra aquele gerado no mesmo Útero em que você foi gerado. O Útero de Deus. E, pensando dessa forma, conseguimos viver de verdade o óbvio, a realidade de que todos somos Um.

 

Venho aqui para apresentar a vocês a Seara Espírita Centelha de Luz que fica em Itapuã, Salvador-BA. Tal instituição, além do espiritismo, presta serviços gratuitos para a comunidade carente do bairro, como cursos de manicure, eletricista, aulas de reforço escolar, violão, artesanato, consultas médicas, fono, psicólogos e dentistas.

Quem tiver interesse em conhecer, fazer uma visita ou ser um colaborador das atividades da Seara Espírita, sejam bem-vindos! Notas fiscais, garrafas pet podem ser doadas. Material odontológico e remédios também. Além de lanche para as crianças do reforço escolar, copos descartáveis, papel higiênico, papel ofício, etc…

 

“Quem serve prossegue.” Emmanuel

Recomendando…

Tenho tido belas companhias nos livros que ando lendo ultimamente. E, por isso, resolvi postar a dica deles aqui no blog.

                                                                   

Boa leitura a todos!

Friendship II – uma declaração de amor

Peço licença à minha amiga Tatiana Velasco, para publicar uma incrível fotografia dela como ilustração para este post.

Que todos os meus amigos se sintam representados por essa bela imagem! Vocês são flores que perfumam e encantam a minha vida. Me fazem companhia nesse imenso jardim em que vivemos.

Este post tem sido escrito por muitos dias. Escrevo, paro, reescrevo, escrevo mais uma vez… E a cada vez tenho algo a mais pra falar sobre os meus amigos.

Primeiro, agradeço muito a Deus por ter, na minha estrada, muita gente boa. Agradeço também pelos poucos pobres de espírito que já me deparei, eles me ensinaram muito: a olhar e superar meus defeitos, a me tornar mais forte, a ser mais vigilante. Agradeço pelos amigos que estão ao meu lado sempre e por aqueles que estão ao meu lado mesmo longe. Agradeço pelos que ainda estão aqui na Terra e pelos que já desencarnaram… Agradeço pelos amigos animais (minha querida Mel, minha querida Lôla).

Dizem que é nos momentos difíceis que conhecemos os amigos. E eu conheço os meus muito bem, a ponto de confiar plenamente na ajuda e no amparo deles SEMPRE.  Ficaria surpresa se não fosse dessa forma…E nesse meu  momento de dor não foi diferente. A todo momento me senti acolhida, amada, cuidada, amparada. Senti todo o amor e toda a oração feita por mim. Que bem me fez! Que esse bem volte em dobro para todos vocês.

Uma vez, uma amiga me disse que EU TE AMO não deveria ser dito a todo momento e a qualquer pessoa. Pensei por muito tempo nisso, mas hoje estou convicta de que discordo dessa idéia. Se EU AMO? Se é tão bom saber que se é amado? Por que guardar pra si? Eu sou prova viva de que uma palavra de amor pode mudar o dia de alguém. Então eu digo a todos os meus amigos: AMO VOCÊS!  Não tenham receio em demonstrar o amor que sentem…

OBRIGADO!

“É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se vc parar pra pensar, na verdade, não há…” Renato Russo.

“Alguns minutos de reconsideração antes de regressar ao conforto do Lar.”

Senti vontade de escrever sobre algo muito polêmico mas que sei exatamente onde opinar.

Tenho muito o que falar sobre a Eutanásia e todas as suas derivações (ortotanásia, distanásia, passiva, ativa, voluntária, involuntária, não-voluntária). Mas são coisas que estacionam antes das minhas cordas vocais e não mandam impulsos nervosos para meus centros motores, para minhas mãos…

Um turbilhão de sentimentos me trava. Me faz solitária em meio aos meus pensamentos. Mesmo não tendo interesse algum em ser compreendida, apenas ouvida.

Nesse momento, só sei dizer uma coisa:

A vida anseia por mais respeito. E só o verdadeiro Autor da Vida tem o direito de dizer a hora exata em que o ato se encerra e a cortina precisa ser fechada. Mesmo quando o nosso coração, nossa razão e nossas crenças dizem o contrário. A decisão de “tirar” alguém do sofrimento ou a si mesmo não deixa de ser movida pelo amor. Mas é pra isso que temos que ter equilíbrio em tudo. E a razão tá aí, pra frear certos impulsos.

Por amor fazemos Tudo. Mas por equilíbrio fazemos Tudo o que é de melhor.

Há um porquê nas mortes rápidas, lentas. Nas vidas longas, nas breves.

Há um porquê no sofrimento, na alegria.

Há um porquê em tudo. Há um Divino Propósito em tudo.

Por isso, em algum dia, se eu estiver desenganada pela Medicina, presa a uma cama hospitalar, NÃO desliguem aparelhos, Não injetem drogas letais na minha veia nem deixem de injetar ou fazer o que me ajudaria!

Peço aos meus amigos e familiares que orem, me dêem amor, carinho, presença. Mas que respeitem o meu tempo.

Eu confio em Deus!

 

Ufa, percebi que nada como dar o primeiro passo, para a caminhada surgir, não é? Pra quem não conseguia escrever, até que já escrevi demais.

Mas não vou deixar de postar dois links sobre esse assunto. Links interessantíssimos.

Um mais espiritual: http://www.geb-portugal.org/Admin/Ficheiros/REVISTAV205.pdf 

O outro mais técnico: http://intertemas.unitoledo.br/revista/index.php/ETIC/article/viewFile/2006/2147

Trechos: “Embora muito remota pelos princípios humanos e cristãos da sociedade, a eutanásia, caso seja legalizada no Brasil, se estará admitindo uma forma de burlar o crime de auxílio ao suicídio pela modalidade libertadora, burlar o homicídio pela modalidade piedosa e finalmente burlar o infanticídio e até o aborto criminoso pela modalidade eugênica ou econômica.

A vida é nosso bem maior, dádiva de Deus. Não pode ser suprimida por decisão de um médico ou de um familiar, qualquer que seja a circunstância, pois o que é incurável hoje, amanhã poderá não sê-lo e uma anomalia irreversível poderá ser reversível na próxima semana. Afinal, se a sociedade brasileira não aceita a pena de morte, é óbvio que esta mesma sociedade não aceita que se disponha da vida de um inocente, para poupar o sofrimento ou as despesas de seus parentes. Enquanto for crime a eutanásia, sua prática deve ser punida.” Carolina Bezerra

Mais trechos: “Felizes da Terra! Quando passardes ao pé dos leitos de quantos atravessam prolongada agonia, afastai do pensamento a idéia de lhes acelerardes a morte!… Ladeando esses corpos amarrotados e por trás dessas bocas mudas, benfeitores do plano espiritual articulam providências, executam encargos nobilitantes, pronunciam orações ou estendem braços amigos! Ignorais, por agora, ovalor de alguns minutos de reconsideração para o viajor que aspira a examinar os caminhos percorridos, antes do regresso ao aconchego do lar.”

Eles não são as múmias torturadas que os vossos olhos contemplam, destinadas à lousa que a poeira carcome… São filhos do Céu, preparando o retorno à Pátria, prestes a transpor o rio da Verdade, a cujas margens, um dia, também vós chegareis!…” Sexo e Destino – André Luiz por Chico Xavier

Vai uma limonada aí?

Assisti o filme O Amor Acontece, essa semana. Fiz o download dele sem nem ler a sinopse, mas porque vi que Jennifer Aniston protagonizava desejei logo ver.

A surpresa foi enorme ao saber do que o filme tratava, logo nos primeiros segundos de exibição: Lidar com o Luto.

Como não acredito em coincidências, sei que eu escolhi o filme certo e ele me escolheu.

Tenho encontrado alento em tudo: filho, amigos, família, livros, filmes, sonhos… Agarro-me a tudo que me faça sorrir, pois sei que Meu Amor se sentirá melhor em me ver bem.

Na primeira cena do filme o ator diz que a vida, às vezes, nos dá limões. E que a gente tem que decidir se vamos chupá-los e fazer careta ou se vamos fazer uma deliciosa limonada.

Pensei que procuro sempre fazer limonadas (e por isso sou até taxada de vivendo no país das maravilhas). Fiz limonada do coração partido, do aborto repentino, da depressão pós-parto, das mastites, das decepções, das “vacas magras”… E hoje espremo limões duros e secos, diluo com água suja e quente e tempero com sal das minhas entranhas. Bebo sem fazer careta!  Um dia, ela será deliciosa De Verdade. Mas como tudo tem seu tempo, aguardo, respeitando o meu tempo, o tempo que cura, que renova, que ensina.

Desejo que você também possa fazer limonada com os seus problemas!

Viva os limões e Viva a limonada!

Previous Older Entries Next Newer Entries